Máquinas de lavar louça estão impregnadas de fungos patogénicos perigosos

Um estudo observacional publicado na revista “Fungal Biology”, da British Mycological Society, conclui que existem fungos potencialmente patogénicos na maioria dos aparelhos domésticos comuns, mas sobretudo nas máquinas de lavar louça.
créditos: Pixabay

Fungos que podem dar origem a infeções pulmonares, como o Exophiala dermatitidis ou o E. phaeomuriformis, foram encontrados em amostras recolhidas em máquinas de lavar louça de 189 casas em 101 cidades de vários continentes.  Segundo o estudo, 56% das máquinas de lavar louça continham fungos, sendo que a sua maioria estava impregnada nas borrachas de vedação deste eletrodoméstico.

De acordo com a investigação, tanto o Exophiala dermatitidis como o E. phaeomuriformis "apresentaram uma tolerância notável ao calor, a altas concentrações de sal, aos detergentes agressivos, e à água com teor ácido ou alcalino".

As condições bioquímicas dentro das máquinas de lavar louça não só permitem que estas espécies de fungos sobrevivam, como se alastrem mesmo a temperaturas de 60 ou 80 graus Celsius.

Os fungos são organismos extremófilos e por isso conseguem sobreviver em condições geoquímicas extremas. São responsáveis por doenças nos seres humanos humanos, ao colonizarem os pulmões dos pacientes com fibrose quística ou com outros problemas de saúde que causam imunossupressão.

O estudo salienta que pessoas a tomar antibióticos, assim como as que têm o sistema imunitário debilitado, estão no grupo de risco deste tipo de infeções pulmonares.

Um outro estudo publicado na revista PLOS One salienta que "nas últimas duas décadas a incidência de infeções fúngicas nos seres humanos aumentaram de forma alarmante".

Veja também: 10 coisas que deveria lavar e que nunca lava

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários