4 coisas fundamentais em que não deve poupar na sua casa

Importa começar por explicar que, quando dizemos “coisas fundamentais em que não deve poupar”, queremos também dizer “coisas que representam um investimento a longo prazo”.

Se existem alguns items em que podemos poupar nas nossas casas, como por exemplo os produtos de limpeza ou alguns móveis, existem outras coisas em que não o devemos fazer, pois podem representar maiores gastos a longo prazo.

Fique a conhecer quatro coisas fundamentais em que deve investir na sua casa.

1. Um bom colchão

Se pensarmos que passamos cerca de um terço do nosso tempo a dormir, facilmente percebemos a importância de investir num bom colchão. Este é determinante na qualidade do nosso sono, da nossa saúde e, de uma forma geral, na nossa qualidade de vida.

A longo prazo um problema de saúde derivado do uso de um mau colchão pode trazer-lhe custos bem maiores do que o investimento que um bom colchão requer.

2. Isolamento térmico

Ter uma casa com um bom isolamento térmico é essencial para evitar perdas de calor, no inverno, e que a casa se transforme numa sauna, durante o verão. Para além da eficiência e conforto que um bom isolamento representa, este é sinónimo de poupança em aquecimento e/ou refrigeração durante estas estações.

Se a nossa casa não tem um bom isolamento, teremos de ligar mais vezes o aquecedor, no inverno e ver a fatura da electricidade crescer, por exemplo.

3. Reparações

A torneira que pinga, uma fechadura que se estragou ou o esquentador que faz um barulho estranho são apenas três exemplos das pequenas reparações temos tendência a deixar para depois, nas nossas casas.

No entanto, deixar estes pequenos problemas arrastarem-se pode significar que aquilo que seria uma pequena reparação se venha a tornar numa grande despesa.

4. Segurança

Seja qual for o local onde mora, o zelo pela segurança nunca é em demasia. Ter a sua casa mais segura também não significa que tenha contratar um serviço de alarme.

Coisas simples como investir numa boa fechadura, garantir que os fechos das janelas estão em condições ou até mesmo investir num pequeno cofre tornam a sua casa menos “apetecível” a potenciais intrusos. Ao investir em segurança, está a prevenir potenciais situações de prejuízo.

O fundo de emergência pode ser um “bom amigo”

As situações que acima descrevemos estão em muito relacionadas com prevenção. Prevenir certas situações é sinónimo , não só de poupança, como de conforto e descanso. Assim, para que não seja apanhado desprevenido, aconselhamos a que crie o seu fundo de emergência.

Este deverá ser uma conta à parte da sua conta à ordem, onde junta dinheiro com vista a ter o suficiente para fazer face a uma despesa inesperada, sem comprometer o seu orçamento mensal. Ter um um fundo de emergência disponível para uma emergência significa que esta se pode tornar num bom investimento, pois ao ter um determinado montante disponível poderá comprar um produto ou serviço não por ser mais barato, mas porque este apresenta melhor qualidade.

artigo do parceiro:

Comentários