Dormem com outras pessoas mas garantem que isso é bom para a relação

Adeptos do poliamor, Brittany Taylor e Conor McMillen asseguram que ter mais do que um parceiro sexual aproxima os casais. Mas é preciso aprender a lidar com o ciúme, diz o popular casal de youtubers.

Para Brittany Taylor e Conor McMillen, um popular casal de youtubers que aproveita muitos dos vídeos que faz para fazer a apologia do poliamor e daquilo a que chamam «sexo positivo», a vida a dois não faz sentido só com dois. «Não gostamos de usar rótulos porque eles, na maioria das vezes, limitam-nos», defendem em entrevista à edição online do Daily Mail. «Gostamos muito um do outro mas não temos regras», asseguram.

«Não regemos a forma como nos relacionamos um com o outro ou com os outros por padrões. Seguimos o nosso coração», admite o casal de youtubers, que soma mais de 20.000 subscritores do YouTube.«Já tivemos sexo ou relações românticas com muitas pessoas que podem ser consideradas nossas amigas. Algumas foram mais curtas mas outras foram duradouras», afirmam Brittany Taylor e Conor McMillen.

«Já partilhámos amantes em ocasiões distintas, já participámos em experiências a três e por aí fora», desvenda o youtuber de Rhode Island, nos EUA. Nos primeiros anos de relacionamento a dois, os ciúmes eram muitos mas, hoje, passam-lhes praticamente ao lado. «O ciúme é apenas uma palavra», desvaloriza Brittany Taylor. Klinger de Souza, um brasileiro que trocou a monogamia pelo poliamor, partilha da mesma opinião.

«Angélica [a mulher] e eu estamos juntos há cinco anos. Nesse tempo, mudaram as pessoas do [nosso] relacionamento. [Hoje] conhecemo-nos melhor e amadurecemos muito a ideia do que é nosso relacionamento» admitiu publicamente. «Há pessoas que ficariam mais satisfeitas e felizes se optassem por não viver na monogamia e outras que não conseguem sequer nem ler sobre o assunto», refere Denise Miranda de Figueiredo.

«Tudo depende da pessoa e também da vivência estabelecida nessas relações», realça a sexóloga brasileira. Apesar de ainda não existirem muitos dados científicos sobre o tema, um estudo divulgado pelo site The Lawyer's Daily em setembro de 2017, diz que mais de 72.000 canadianos estão em relações com mais do que um parceiro. O ator Nico Tortorella e a empreendedora Bethany Meyers também acabam de o assumir.

A jornalista Monica Chin também. «Sim, o poliamor é uma realidade sexual», escreveu no artigo em que faz a bombástica revelação. Um artigo onde aponta o dedo à padronização das relações que a sociedade ainda teima em instituir. «Sou poliamorosa e o Facebook nem sequer acha que a minha sexualidade existe», critica, por não poder definir que está numa relação com mais do que uma pessoa.

«Posso indicar que estou numa relação aberta mas a verdade é que não estou», insiste. Em Portugal, não existem estimativas quanto ao número de adeptos desta prática mas, nos EUA, há quem fale em 2,4 milhões de relacionamentos deste tipo. «Nós casámos sabendo que nunca nos dedicaríamos 100% em exclusivo ao outro», assegura Laura Leonard, mulher de Mike Leonard, outro dos casais que assumiu a sua condição.

Texto: Luis Batista Gonçalves

artigo do parceiro:

Comentários